18 junho 2012

DEUS NÃO PRECISA DE VOCÊ!



Porventura, o homem será de algum proveito a Deus? Antes, a si mesmo o prudente será proveitoso. Ou tem o Todo Poderoso prazer em que tu sejas justo, ou lucro algum em que tu faças perfeitos os teus caminhos?” Jó 22:2,3
Atenta para os céus e vê; e contempla as mais altas nuvens, que estão mais altas do que tu. Se pecares, que efetuarás contra ele? Se as tuas transgressões se multiplicarem, que lhe farás? Se fores justo, que lhe darás, ou que receberá da tua mão? A tua impiedade faria mal a outro tal como tu; e a tua justiça aproveitaria a um filho do homem.” Jó 35:5-8

Deus deixa de ser Deus, ou torna-se menos Deus por causa do pecado humano?
Se toda a humanidade resolvesse desacreditar de Deus, desprezá-lo ou tentar contra Ele, Ele deixaria de ser o Todo Poderoso por causa disso?
Deus é prejudicado quando ocorre algum escândalo na mídia com algum líder evangélico?
Não mesmo! Nada que o ser humano faça, ou deixe de fazer, fará Deus mudar Seu poder, Seu caráter, Sua autoridade.
Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” Tiago 1:17

Então, disse Mardoqueu que tornassem a dizer a Ester: Não imagines, em teu ânimo, que escaparás na casa do rei, mais do que todos os outros judeus. Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento doutra parte virá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?” Ester 4:13,14
Mardoqueu entendeu que sua sobrinha Ester nasceu justamente para aquele momento, para salvar o seu povo judeu das mãos do mau Hamã, mas deixou claro que, se ela rejeitasse fazer a vontade de Deus, Ele não ficaria preso a ela, mas salvaria o Seu povo de outra forma.
Sendo assim, entendemos que Deus não está limitado a vontade humana. Pelo contrário, se o homem fizer a Sua vontade, será feliz e isso trará também aos outros alegria. Por isso, os dois maiores conselhos divinos são: “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:37-40 e o apóstolo Paulo ainda resume tudo em um só conselho dizendo: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” Romanos 13:8

Tudo que fazemos tem reflexo em nós mesmos ou no nosso próximo
Na primeira passagem acima, Elifaz mostra que quem é justo, o é para seu próprio benefício. Eliú complementa Elifaz, informando que nossas atitudes podem afetar nosso próximo também. Ou seja, se plantamos o bem, colheremos o bem. E não apenas nós, mas também as pessoas que estão a nossa volta.
Por exemplo: Quando um jovem resolve estudar, se aplicar para que tenha um bom futuro profissional, ele e toda a sua família poderá gozar de bênçãos materiais quando este estiver ganhando um bom salário.
Um exemplo da parte ruim seria: Quando um jovem resolve se envolver com más companhias, entra para a vida do tráfico, das drogas ou de algum crime específico, além de poder morrer, ser preso ou viver como fugitivo da polícia, toda sua família tende a sofrer por causa disso. Outro exemplo como este é o caso do adultério que faz um marido contrair o vírus do HIV, ou outra doença sexualmente contagiosa, e ainda leva a doença para sua esposa que nada tem ligação com seu pecado...

Façamos o bem, portanto, por Amor
Enfim, quando fazemos a obra de Deus, seja evangelizando, intercedendo, contribuindo financeiramente para sustento de um missionário, doando seu tempo e bens aos necessitados, tais como moradores de rua, visitando crianças em orfanatos, idosos em asilos, doentes nos hospitais, presidiários, ou mesmo pregando a Palavra, ministrando louvor etc. tudo isso fazemos, não porque Deus precisa de nós, mas porque nosso próximo precisa de nós.
O erro está quando contribuímos porque achamos que somos necessários para Deus, ou mesmo quando deixamos de colaborar porque estamos presos ao nosso egoísmo e, já que Deus não precisa de nós, Ele mesmo pode dar um jeito de levantar outro ou mesmo fazer sozinho o que está pendente. Quem pensa em uma dessas duas maneiras está completamente equivocado e não entendeu ainda o Evangelho.
Quando fazemos o bem, fazemos não porque temos a obrigação de fazer, ou porque necessariamente Deus nos escolheu desde o ventre para fazermos aquilo e, se não fizermos, ficará pendente. Essa passagem é muito forte:

Juntando o que os dois amigos de Jó disseram, temos:
“... a si mesmo o prudente será proveitoso... A tua impiedade faria mal a outro tal como tu; e a tua justiça aproveitaria a um filho do homem.
Nisso se resume a vida humana: fazer tudo por amor, mas não simplesmente amor a si próprio, mas algo que favoreça o conjunto, a sociedade. Seria o que tanto os filósofos gregos, tais como Sócrates e Platão pregaram em seus ensinos. Até por isso, muitos pensam que Jesus, o apóstolo Paulo ou os líderes da Igreja foram influenciados por esses filósofos em seus ensinos à Noiva de Cristo, mas, na verdade, esse foi o tema de todas as Escrituras, muito antes da inauguração da Igreja nos tempos do Império Romano. Desde Moisés, já havia a pregação do amor ao próximo.

Enfim, tudo que fizermos, façamos não porque Deus precisa de nós, mas porque amamos ao Senhor e, por isso, temos prazer em agradá-lo. Ainda que Ele não precise de nós, dedicamos nossa vida como presente para Ele. Ainda que Ele não precise de ajuda, dedicamos nossa vida para ajudar as outras criaturas que, como nós, Ele criou com todo amor.

Resumindo:
1-      Deus não precisa de nós e não se beneficia ou se prejudica com nossas atitudes;
2-      Quando fazemos o mal, prejudicamos a nós mesmo e aos que estão a nossa volta;
3-      Quando fizermos algo bom, façamos, não por obrigação, mas por amor.

Pregação dia no culto no lar da irmã Gildete, da Igreja Batista Nova Filadélfia em Vila Metral no dia 19/05/12, e também parte dessa mensagem foi aplicada na pregação do culto de missões na Igreja Assembléia de Deus Nova Jerusalém no dia 20/05/12

Nenhum comentário: