28 fevereiro 2012

PELO TEMOR DE ISAQUE




             Como seria uma pessoa que desde criança era zombada, provavelmente por ter uma mãe que mais parecia sua avó?

Como estaria a cabeça de um menino que, na juventude, foi levado para ser morto pelo próprio pai, ainda mais, a mando de Deus?

Como reagiria um homem que não teve a opção de escolher, nem se quer, sua própria esposa?



Isaque teria a opção de fugir quando Abraão o convidou a subir no altar para ser sacrificado. Não é possível que ele não estava entendendo o que estava acontecendo... Ele entendeu... e obedeceu... obedeceu seu pai e ao Senhor Deus.



Enquanto o servo de seu pai foi buscar uma noiva para Isaque, ele foi para o campo orar.

E foi nisso que ele se tornou: Um homem de oração. Um adulto que entregava todas as áreas da sua vida nas mãos do Senhor porque aprendeu que sempre o melhor é confiar em Deus...



Sua esposa, Rebeca, era estéril e por 20 anos Isaque orou incessantemente ao Senhor até que engravidaram de Esaú e Jacó.



Seus esforços muitas vezes foram aparentemente em vão, mas ele não desistiu. Os seus inimigos tomavam os poços que ele cavava, mas Isaque não discutia. Abaixava a cabeça e ia para outro lugar cavar novo poço. Na terceira tentativa, porém, Deus o ajudou. Hoje, ele seria chamado bobo, tapado, passivo, lerdo, otário! Mas ele simplesmente entregava tudo a Deus.



Esse comportamento distinto chamou a atenção de algumas pessoas, inclusive seus vizinhos, seu filho e, provavelmente seu neto.



Seu filho, Jacó, disse o seguinte:

"O Deus de Abraão e o Deus de Naor, o Deus de seu pai, julgue entre nós. E jurou Jacó pelo temor de seu pai Isaque." Gênesis 31:53

"Se o Deus de meu pai, o Deus de Abraão e o temor de Isaque não fora comigo, por certo me despedirias agora vazio. Deus atendeu à minha aflição, e ao trabalho das minhas mãos, e repreendeu-te ontem à noite." Gênesis 31:43

Ou seja, por duas vezes Jacó faz menção do temor que seu pai Isaque tinha pelo Senhor.

Jacó vacilou muito e reconhecia isso porque, inclusive, afirma "Simeão e Levi são irmãos; as suas espadas são instrumentos de violência.No seu secreto conselho não entre minha alma, com a sua congregação minha glória não se ajunte; porque no seu furor mataram homens... (Gênesis 49:5-6)", ou seja, além de outras coisas, se ele fosse julgado por seus filhos, já estaria condenado. Mas, pecador que era, Jacó viu em Isaque um exemplo de homem.



Mas Isaque não influenciou apenas seu filho Jacó. Isaque pode conviver 17 anos com seu neto José, até que este fosse vendido ao Egito por seus irmãos. E foi no Egito que José pode demonstrar tudo que viu e ouviu de seu avô Isaque.


            José, ao ser vendido por seus próprios irmãos, ser caluniado pela esposa de Potifar e ser esquecido pelo copeiro, em nenhum momento blasfemou contra Deus, mas continuou trabalhando e acreditando que Deus o ajudaria e cumpriria o que lhe prometeu através dos sonhos.

José, ao ver seus irmãos traidores, não agiu com vingança, pelo contrário, perdoou seus irmãos e entendeu que seu sofrimento foi para favorecê-los. Que visão!

Olhando para a vida de Isaque, podemos notar quem influenciou tanto o temor que José teve todo o tempo que sofreu tentações das mais diversas no Egito.



Tanto Isaque quanto José são figuras do próprio Senhor Jesus. O que foi escrito sobre suas vidas apontam em dezenas de detalhes o que ocorreria com nosso Mestre. Os dois estão mais ligados do que poderíamos imaginar.



Compartilhado no culto no lar do Henrique e Lene, e no culto no lar do Mauro e Cristina.

Nenhum comentário: